14 de October de 2022

#Veteranos extraordinários traz: Kazuko Kiriyama Forte, de Porto Alegre-RS

Aos 71 aos ela representa a terceira geração de praticantes budistas de sua família

Kazuko: “Nunca deixei de orar todos os dias de manhã e à tarde”

Quem iniciou a prática budista na família foi sua avó, Naka, em 1959, ainda no Japão. Kazuko conta que o que a levou à prática foi um problema nos olhos, que logo se resolveu assim que iniciou a orar o mantra Nam-Myoho-Renge-Kyo. Nesse mesmo ano os pais de Kazuko decidiram imigrar para o Brasil levando toda a família e o maior tesouro de todos: o objeto de devoção do budismo Nichiren, o Gohonzon. Devido serem naturais de Hokkaido, a ilha mais ao norte do Japão, escolheram migrar para o Rio Grande do Sul, cientes de que o clima tropical do Brasil seria um grande desafio, daí a escolha pelas temperaturas mais frias do sul do país.


Kazuko estava com 9 anos de idade, era a mais velha de 6 irmãos e se lembra muito bem da convicção de sua avó, embora não fosse a pessoa mais assídua nas orações, mas sua mãe, Nobuko, era devota e disciplinada, orando todos os dias e foi ela quem lhe passou essa rotina da qual ela se afeiçoou e jamais deixou de realizar. São hoje 63 anos de prática budista ininterrupta. “Nunca deixei de orar todos os dias de manhã e à tarde”, contou com orgulho.


Em 1964 a avó, matriarca da família, faleceu e a recém fundada BSGI enviou um jovem líder de Porto Alegre para a cerimônia. Este rapaz incentivou a família a desafiar uma prática sincera e devota por 6 meses a fim de transformar a vida de toda a família. “Meu pai, Kikuji, praticou a vida toda e ajudou dezenas de pessoas a conhecer e praticar o budismo”, ressaltou Kazuko.


Em 1966, quando da segunda visita do presidente Daisaku Ikeda ao Brasil, dois convites chegaram para a família. Esta já vivia em Erechim, no interior do estado do Rio Grande do Sul, em condições bem mais favoráveis. A cidade, na época, era somente um pequeno vilarejo distante 450 km da capital Porto Alegre. Cientes da honra e da oportunidade única, desafiaram e foram a São Paulo para a histórica reunião no Teatro Municipal. Os primeiros membros da BSGI do Rio Grande do Sul a terem essa honra.


Em 1967, apenas um ano depois da épica viagem a São Paulo e o encontro inesquecível com o presidente Ikeda, o pai de Kazuko participou do treinamento do Japão, promovido pela Soka Gakkai. Em 1968 foi a vez de sua mãe e, em 1970, foi a vez dela própria ir à sua terra natal, junto com mais 350 pessoas. Kazuko rememorou que esses episódios marcaram sua vida profundamente, pois à medida que foram vencendo obstáculos, a evolução financeira da família, bem como a harmonia e o desenvolvimento da BSGI local se aprofundaram na mesma proporção.


O ano de 1972 foi marcado por dois acontecimentos: a segunda viagem de seu pai ao Japão e o encontro que mudaria sua vida, com aquele que viria a ser seu marido. Filho de italianos e alemães, chegou a ser seminarista tamanha era sua devoção à religião da família. Kazuko estava então com 22 anos e ele 31. Casaram-se e ele se tornou seu companheiro de vida, incentivando-a e auxiliando-a em todos os momentos.


Um fato marcante que Kazuko relembra com orgulho e saudade foi o encontro com aquela considerada como mãe de toda a BSGI: Silvia Saito. “Eu era líder de comunidade do Núcleo Feminino e lembro perfeitamente das palavras da sra. Saito: ‘independentemente das dificuldades que estejam enfrentando agora, chegará o dia em que todas conquistarão a condição de viajar pelo mundo e viver uma vida plena e tranquila, como resultado da prática da fé e dedicação a felicidade das pessoas”, contou. Quem ouviu essas palavras na época, não tinha a capacidade de compreender a extensão do que havia sido dito e sequer poderiam imaginar o que ela estava falando. Naquela ocasião, as participantes enfrentavam adversidades tão grandes que era difícil para elas imaginar tal transformação e compreender o significado deste incentivo. Mas hoje Kazuko compreende a profundidade deste incentivo pois comprova diariamente, desfrutando de uma vida plena e feliz, ao lado de seus 3 filhos e 5 netos.


 O primeiro Gohonzon do Uruguai


A família Kiriyama é considerada pioneira no que refere à prática do budismo de Nichiren Daishonin da Soka Gakkai e é também a memória viva da BSGI no estado do Rio Grande do Sul.


No final da década de 1960 o pai de Kazuko, Kikuji, recebeu da BSGI uma solicitação: visitar uma família japonesa membro da Soka Gakkai recém imigrada ao Uruguai e realizar a consagração do Gohonzon desta família. Kazuko conta que seu pai, sem hesitar um instante sequer, recebeu a solicitação e imediatamente se preparou para cumprir a missão, com o sentimento mais profundo de sincera devoção e gratidão.


Nessa primeira viagem ao Uruguai, Kikuchi pode contatar outros membros dessa família que haviam imigrado há alguns anos. Em conversa com essas pessoas, incentivou-os e explicou-lhes o que é o budismo Nichiren. Ao final desse diálogo, foi surpreendido com a notícia de que estes também desejavam abraçar a prática do Budismo.


Assim, decidido a possibilitar que aquela família também conseguisse transformar sua vida por meio da prática budista, Kikuji retornou do Uruguai a Erechim (mais de 600km) e de lá viajou para São Paulo, com o objetivo de obter o objeto de devoção para aquelas pessoas. De posse do valioso objeto, viajou novamente para o Uruguai e realizou a cerimônia de concessão no Uruguai. Foi a primeira cerimônia de concessão de Gohonzon naquele país e consta nos anais da história da SGI uruguaia.

Voltar para o topo

Outras notícias

November de 2022

October de 2022

September de 2022

August de 2022

July de 2022

June de 2022

Mais notícias

Notícias + lidas

Sede Central da BSGI
Rua Tamandaré, 1007
Liberdade - São Paulo - SP
Brasil
CEP: 01525-001
Telefone
+55 11 3274-1800

Informações
informacoes@bsgi.org.br

Relações Públicas
rp@bsgi.org.br
Informações Gerais
Contatos
Redes Sociais
Facebook
YouTube
Instagram
Twitter
Sites Relacionados
Soka Gakkai Internacional
Daisaku Ikeda
Josei Toda
Tsunesaburo Makiguchi
Cultura de Paz
Editora Brasil Seikyo
CEPEAM
SGI Quarterly
Escola Soka do Brasil
Extranet BSGI