29 de October de 2021

O coração rejuvenescido de Terezinha

Terezinha Maria Barbosa é uma veterana da BSGI que iniciou sua jornada no budismo ao se encontrar com o presidente Daisaku Ikeda em 1984

Cercada de mimos por filhas e netos

Terezinha com seus dois bisnetos

Terezinha, no alto de seus 85 anos é uma jovial veterana. Alegre, risonha e feliz. Provavelmente essa é a melhor descrição dessa pessoa encantadora. Nascida e residente em Petrolina-PE, o sorriso luminoso deixa claro que se trata de uma pessoa que viveu intensamente uma vida de desafios, mas que nunca desistiu dos sonhos. “Desde que conheci o budismo, nunca mais passei necessidade!”, iniciou a jovial Terezinha.


Contou ela que viviam em Petrolina – ela, o marido e 3 filhas (duas outras já se encontravam em Recife para estudar) – e perderam tudo. “Meu marido foi um homem bom, trabalhador, mas não tinha cabeça para os negócios”, contou. Assim, a convite de um irmão, lá se foram para São Paulo, buscar uma vida melhor.


Pouco depois da chegada, a mãe de Terezinha já vivia há anos na capital paulista e precisou ser internada, gravemente enferma e os médicos não lhes davam muitas esperanças. Foi quando sua irmã Joana, budista, ensinou-a a recitar o mantra. “Eu fazia promessa a todos os santos que conhecia e até a outros que me indicavam, mas minha mãe não reagia. Minha irmã me ensinou a recitar o mantra e eu me agarrei a ele”, orava com todo o coração para que sua mãe se restabelecesse.


Em meio a esse momento delicado da família, toda a BSGI se preparava para o Festival Cultural de 1984 que recepcionaria o presidente Ikeda após 18 anos de ausência. Joana, a irmã estava no coral e tinha dois convites para o ensaio geral do grande evento e cedeu-os à Teresinha e seu marido: “vá e veja a grandeza dessa organização!”, disse-lhe.


No dia do evento, já na entrada, admirou-se com a organização. Grupos de jovens rapazes vestindo branco indicavam os portões e, lá dentro, outros mostravam os lugares. O casal entrou e sentou-se, observando com assombro todas aquelas pessoas. Pouco tempo se passou e uma porta se abriu Por ela entrou um homem nipônico e toda a plateia começou a aplaudir e a chorar. Terezinha, emotiva por natureza, emocionou-se junto.


O homem desceu as escadas e passou ao lado do casal, sorrindo. Foi descendo calmamente, chegou até o chão do ginásio e abriu os braços. Foi quando irromperam aplausos ainda mais intensos e o inesquecível “pique-pique-pique”. Ele percorreu boa parte da extensão do local, cumprimentou o público e foi para o camarote reservado a ele para assistir ao Festival.


“Eu não sabia o que estava acontecendo comigo. Só sei que comecei a chorar e só parei porque meu esposo me falou pra parar ou ele ia embora”, contou rindo. Assistiu ao grande evento e sentiu que algo mudara nela. Foi para casa com o coração acalentado.


Poucos dias depois, ao visitar sua mãe no hospital, onde já se encontrava em coma há semanas, o médico lhe disse: “sua mãe deu sinal de vida. Sente-se junto dela, aperte sua mão e fale com ela”. Terezinha assim o fez.


“Mãe, sou eu. Estou aqui!”, ao dizer essas palavras sentiu que sua querida mãe retribuía seu afago carinhoso. Mais uns dias e pode levar sua mãe para casa. “Me converti, nunca mais deixei a prática e minha fé só cresce a cada dia!”, exclamou.


Suas cinco filhas e as respectivas famílias são budistas, apoiando-na em tudo. Vivem espalhadas pelo Brasil e uma delas está no exterior. Deram a ela quatro netos e dois bisnetos. Seu marido, já falecido, também se converteu e a acompanhou na prática por muitos anos. Seus negócios prosperaram e eles puderam voltar a Petrolina onde ela vive até hoje e ajudou a criar a organização BSGI de hoje da localidade. Ela diz que seu maior presente foi a cura de sua mãezinha que prolongou a vida até os 90 anos, cercada de afeto dos filhos e netos e recitando o mantra budista.

Voltar para o topo

Outras notícias

December de 2021

November de 2021

October de 2021

September de 2021

August de 2021

July de 2021

June de 2021

Mais notícias

Notícias + lidas

Sede Central da BSGI
Rua Tamandaré, 1007
Liberdade - São Paulo - SP
Brasil
CEP: 01525-001
Telefone
+55 11 3274-1800

Informações
informacoes@bsgi.org.br

Relações Públicas
rp@bsgi.org.br
Informações Gerais
Contatos
Newsletter

Redes Sociais
Facebook
YouTube
Instagram
Twitter
Sites Relacionados
Soka Gakkai Internacional
Daisaku Ikeda
Josei Toda
Tsunesaburo Makiguchi
Cultura de Paz
Editora Brasil Seikyo
CEPEAM
SGI Quarterly
Escola Soka do Brasil
Extranet BSGI